18 de julho de 2016

O poço


Se durante a sua caminhada você encontrar um poço bem fundo, qual seria a sua reação? [Pense].
Desde quando pisamos nossos pés na terra nos derrapamos com obstáculos, pequenos ou grandes. Seja uma pedra, uma porta ou um poço. Cada qual com seu objetivo. Conforme vamos caminhando e passando, bem como superando os obstáculos criamos resistência. É onde começamos a errar. Por já ter vivido tal situação acreditamos que as coisas serão diferentes a partir dali. Ou por pensar o que poderia acontecer nos intitulamos preparados para aquilo. Pergunte-se: estamos preparados para qualquer coisa que possa vir a acontecer?
[Pausa]
Em algum outro momento, nós viveremos outra situação, não exatamente igual, mas bem parecida. Somos humanos frágeis e vulneráveis. Essa simples situação pode nos levar ao poço. No entanto, para alcançar a superfície é necessário ir até o fundo dele. No mesmo instante, nos tornamos humanos fortes. Porque a luz que erradia da superfície é a que sustenta a fé de conseguir ir adiante.
Nós acreditamos que estamos preparados para qualquer coisa, embora saibamos que as coisas não são assim, fáceis. Não importa quantas vezes você passará pela mesma situação (ou parecida), o sentimento será o mesmo. Isso é algo que não se muda, nunca. O frio na barriga estará sempre lá. É importante não só saber que podemos fazer tudo o que estiver em nossas mãos para que as coisas sejam diferentes, sobretudo que somos humanos feitos de sentimentos. Sentimentos esse que nem sempre podemos adivinhar. Sentimentos esse que faz nosso coração acelerar ou se aquietar. Necessitamos ouvir essa parte tão esquecida no meio de um mundo racional.

Aline Bueno

Nenhum comentário:

Postar um comentário